Saturday, March 25, 2006

Art.º 10 - Termo

Com o termo de responsabilidade, o técnico responsabiliza-se da forma legal pelo procedimento apresentado na entidade administrativa.

O Termo de Responsabilidade pressupõe/integra uma dupla acreditação:

Uma acreditação académica, conferida pela licenciatura.
Uma acreditação profissinal, atribuída pela inscrição na ordem profissional (dos Engenheiros, dos Atquitectos, da ANET...)


Com esta dupla acreditação, que legitimidade tem a Administração Pública para ir rever o trabalho apresentado (por excelência no projecto de arquitectura), ao ponto de manter em permanência, um corpo de técnicos, cuja única função é a de verificar o trabalho destes profissionais?

Chocante, não é?

- Chocante, porque é o gasto dos impostos que todos pagam.
- Chocante, porque é a única classe profissional sujeita a esta revisão (à lupa!) do trabalho que fazem para o cliente.

Já imaginaram o que seria:

- Manter nos hospitais, em permanência, um corpo de técnicos/médicos, a verificar, também, se o diagnóstico feito pelo médico privado estava correcto?

- Manter nos tribunais, em permanência, um corpo de técnicos/juristas, a verificar caso a caso, se a consulta e as recomendações feitas ao cliente, tinham sido as mais acertadas?

- Já viram a revolta que está a ser agora, nos professores, a hipótese de serem avaliados por outros com formação igual, para ingressar na ordem profissional que se pretende criar?

Mas este é o tratamento que damos, pacificamente, aos nossos técnicos de Engenharia e Arquitectura que apresentam projectos nas Câmaras Municipais!

Fundamenta-se esse tratamento, alegando que os projectos apresentados contêm muitos erros.

O que se compreende.

Quando recebo, lá na autarquia onde trabalho, documentos elaborados por juristas, também os encontro cheios de erros:

O primeiro, é que não escrevem como eu.

O segundo, é que não "agarram" no assunto como eu o faria....

O terceiro....

5 Comments:

Anonymous Klipp said...

Calha bem! Eu tb sou licenciado em Direito, mas trabalho na área da saúde. E já não me lembrava daquela descrição de Paris "au nez"... Vais já para os meus favoritos :-)

Saturday, 25 March, 2006  
Blogger Rosario Marques said...

Boa! Já sei onde encontrar ajuda nessa área!

Saturday, 25 March, 2006  
Blogger geno said...

é uma chatice. sobretudo porque os que verificam esses projectos geralmente sabem menos do que aqueles que os fazem...

Thursday, 30 March, 2006  
Blogger karl ïnka said...

sim, é verdade! è ridículo! eu também sou arquitecta, e sente-se realmente uma grande desacreditação!

Thursday, 30 March, 2006  
Anonymous Roger said...

Bem, tenho que comentar... De facto não haveria necessidade de fiscalizar os projectos (principalmente de arquitectura) se os projectistas cumprissem o estipulado na legislação. Na realidade o que deveria haver era a instituição de um formulário com todas as disposições técnicas obrigatórias e que deveria ser preenchido e assinado. Isto seria documento suficiente para avaliar a qualidade do projecto e assim diminuir a burocracia - 30 dias à espera para que um técnico se aperceba que afinal eu sei o que estou a fazer é muito tempo... Cumprimentos a todos

Sunday, 07 May, 2006  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home

Counters
Counters
referer referrer referers referrers http_referer